Feeds:
Artigos
Comentários

Estes dias, assiti na Univerdade pessoas a elaborarem esquemas para conseguirem copiar num exame. A minha estupefacção foi total!

Qual o mérito de passar num exame apenas porque se copiou?

Qual a vantagem de acabar um curso quando passamos esse mesmo curso a copiar nas provas que nos foram feitas?

E após o curso, como vamos lidar com os testes que nos colocarão no dia a dia? Conseguirão essas pessoas “sobreviver”?

Pessoalmente, a minha posição enquanto estudante, é que prefiro reprovar do que copiar, pois considero que ao copiar não nos desenvolvemos enquanto seres pensantes.

Anúncios

Conselho Diocesano

 

No próximo dia 8 de Outubro pelas 20h realizar-se-á no Patronato de S. Sebastião em Guimarães o L Conselho Diocesano da Diocese de Braga.

 

 

Que este L C.D. reflicta empenho e motivação para continuarmos o caminho de Fé que o Movimento nos propõe!

Estamos de Volta!

 

Mais um ano que promete ser de construção para a nossa diocese.

Que este blogue seja o espelho das nossas inquietações, alegrias e vivências.
Que nos obrigue a reflectir sobre a nossa realidade.
Que permita a comunicação entre os militantes.
Que reflicta o nosso trabalho e as nossas posições.
Que consiga ser a janela do MCE Braga para o Mundo.

SE PREVALECER O ESPIRITO DE MILITÂNCIA TODOS CONSEGUIMOS!

Vimo-nos por aí …

“Um dia a maioria de nos ira separar-se. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, das descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que partilhamos. Saudades ate dos momentos de lagrimas, da angustia, das vesperas, dos finais de semana, dos finais de ano, enfim… do companheirismo vivido. Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre. Hoje nao tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai para seu lado, seja pelo destino ou por algum desentendimento, segue a sua vida. Talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe…nas cartas que trocaremos. Podemos falar ao telefone e dizer algumas tolices… Ai, os dias vao passar, meses…anos… ate este contacto se tornar cada vez mais raro. Vamo-nos perder no tempo…. Um dia os nossos filhos verao as nossas fotografias e perguntarao: “Quem sao aquelas pessoas?” Diremos…que eram nossos amigos e…isso vai doer tanto! Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons anos da minha vida!” A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente…… Quando o nosso grupo estiver incompleto… reunir-nos-emos para um ultimo adeus de um amigo. E, entre lagrima abraçar-nos-emos. Entao faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vida, isolada do passado. E perder-nos-emos no tempo….. Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: nao deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades…. Eu poderia suportar, embora nao sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!”

Desabafo de Fernando Pessoa e homenagem aos Amigos

Quem Somos?

Será que alguma vez nos revelamos aos outro como somos verdadeiramente?

Será que alguma vez, por algum momento conseguimos colocar de lado aquelas mácaras que tão acolhedoramente nos protegem?

Porque sentimos necessidade de as usar? Para nos proteger? Se sim proteger de quê?

Não nos sentimos bem na nossa pele, por isso recorremos a elas como escape para sermos como gostamos que os outros nos vejam e não como realmente somos?

Será que quando dizemos ou mostramos quem somos, estamos a demonstrar o nosso genuíno eu ou demonstramos um eu “protegido”?

As máscaras justificam-se? Ou não passam de meras desculpas para nos tornarem quem desejaríamos ser, mas que não somos? 

 

 

Marisa Fernandes

GATTACA

Ontem, pelas 21h decorreu mais uma sessão de cinema no Café Universitário. Desta vez, o filme escolhido foi Gattaca.

 Resumo :

 O Filme decorre num futuro no qual os seres humanos são escolhidos geneticamente em laboratórios e aqueles que são concebidos biologicamente são consideradas filhos de fé.                                                    

A história do filme envolve dois irmãos, “Vincent Anton” concebido de forma natural e “Anton” manipulado geneticamente. Vincent, considerado Não-válido, tem predisposição a várias doenças, assim como uma previsão da data de sua morte para seus 30 anos, mesmo assim procura realizar seu sonho contra tudo e todos. Deseja Viajar para as estrelas e com todo seu esforço e um pouco de corrupção do sistema, tenta superar os limites impostos ao seu destino, sendo obrigado a esconder de todos quem realmente é.

O contexto do filme:

Gattaca passa-se num suposto tempo futuro não muito distante, onde se criam na sociedade novas espécies de “castas”, preconceitos e divisões sociais, aparentemente legitimadas pela ciência. Aos pais que desejam ter filhos é dada a oportunidade de escolher e manipular a interação entre os seus gâmetas, para gerarem filhos com a melhor combinação genética possível. Esse procedimento acaba criando uma distinção entre:Válidos e Não-válido, humanos perfeitos e menos perfeitos.Os não válidos caracterizam-se única e exclusivamente pela sua  propenção a doenças e deficiências, mesmo que mínimas. Aos Válidos são disponibilizados os melhores empregos, enquanto para os Não-válidos é limitada a liberdade de escolha.

Discussão:

Após o filme abriu-se a discussão sobre o filme e esta foi extrememente positiva. Discutiram-se temas como a hegemonia se esta é ou não positiva e em que medida, até que ponto é que queremos que o progresso genético interfira nas nossas vidas e também o lugar da vontade e da luta pelo sonho na nossa vida. Defendeu-se um progresso genético enquanto progresso de irradicação de doenças como SIDA, CANCRO, entre outras.. Quanto á vontade, concluiu-se que por muito que o nosso futuro pareça definido a nossa vontade e os nossos sonhos ultrapassam essa definição, isto quando temos força e coragem para lutar por eles. Finalmente, ainda se fez uma pequena abordagem sobre a visão que temos sobre nós próprios, se vemo-nos enquanto corpo (pedaço de carne que nada mais é do que isso) ou enquanto imagem (corpo que é um veículo que transporta algo mais, algo transcendente ao corpo).

E foi isto, obrigada a todos os que participaram =) e até a próxima!

                                                                                                                                        Marisa Fernandes

Desenhar futuros

Frases que ficaram registadas:
• “ O que estudo? A Vida” (Bajouco 🙂 (João) 25 de Abril 16h39)
• “Tem um sorriso que até da vontade de ser cristão” ( Miguel Cova  25 de Abril 16h47)

Momentos:

O mítico jogo da aldeia:  “Eu já não confio em ninguém” ( Zef ). Peço desculpa Filipe mas és muito suspeito a jogar, por isso parecias-me sempre o lobo.

O mítico acordar de Sábado ( Com água quente 🙂 )

As nossas orações com viola.   

A simpatia do senhor da casa ( para sempre recordado)

 Mais um Encontro Nacional de Responsáveis.

Pensámos sobre o nosso movimento,
sobre o que fomos, somos e gostaríamos de ser,
a nossa identidade, as nossas crenças,
o método das nossas reuniões: ver, julgar, agir

Delineámos formas de dar a conhecer o nosso projecto,
a nossa vivência de estudantes católicos

Recebemos esclarecimentos sobre a Eucaristia.

Partilhámos ideias, projectos, experiências,
das várias dioceses e sectores,

Fortalecemos os laços entre os militantes.

 Sylvie